samedi, février 25, 2006

Escritor Imaginário

Quem quiser pode conferir meus poema em http://100poemasimaginarios.zip.net/,
enquanto eu não faço na produtivo.
Estou para fazer um blog mais interessante que contenha tudo que tipo de texto.

lundi, janvier 23, 2006

Diário de um pardo I

Primeira página
Preguiça: hoje conta os passos que eu não dei. Mas quem dera fosse apenas isso... Misturado está: um pouco de angústia, um coração dilacerado, dor existencial e uma azia desgraçada, e uma meia-dúzia de palavras clichês. Que eu aproveito, mando embrulhar, e escrevo estas páginas do meu diário. E esse é um diário para não ser lido(de verdade!), daqueles que são escritos para desabafar - modalidade que era usada por adolescentes bobas apaixonadas, hoje em dia elas usam blogs e não possuem a mesma vergonha de se revelarem. E não tenho vergonha de praticar essa modalidade de escrita por dois motivos: primeiramente estou apenas me exercitando, e depois não permitirei que ninguém leia estes escritos... Todas os dias e páginas acabaram ficando meio parecidos; aquela preguiça em cima citada(com suas causas) e mais palavras que pretendiam refletir alguma coisa, mas não tinha nada. Foi Quando eu desisti de escrever no papel e passei a escrever nas coisas, nas pessoas, risquei a vida, os dias, num diário imaginário que não necessariamente constava do que chamamos de dias. As vezes eram meses numa única ‘folha’, que podia chamar também de papiro ou de pedra, ou de tela...

dimanche, janvier 22, 2006

Parando

Estou parando...

jeudi, janvier 05, 2006

vidas reincidentes

hoje eu vi que eu não vou conseguir acabar de escrever um romance enquanto eu não acabar com os romances: é mais ou menos assim, texto cifrado, que ninguém vai entender só Eu, mas é que eu queria tirar aquele papai noel horrível...

tô com um monte de coisa pra ler(que eu queria ler)! e num tô conseguindo escrever nada, mas acho que não quero também.

nunca mais vou escrever...

mardi, décembre 20, 2005

Livros de presente



Está chegando o Natal e muita gente pede presentes pra papai Noel. Eu resolvi ao invés de pedir livros(que seriam os meus presentes), agradecer pelos que pude lêr nesse ano. Não foram muitos, ainda estou me tornando um leitor "ativo". Na lista estão todos os livros que eu li e gostei, poucos foram os que eu não gostei (a maioria da faculdade).



1 – Livro sobre nada (Manoel de Barros)
2 – O guardador de águas (Manoel de Barros)
3 – Concerto a céu aberto para solos de ave(Manoel de Barros)
4 – Poemas completos de Alberto Caeiro
5 – Berkeley em Bellagio (João Jilberto Noll)
6 – À céu aberto (João Jilberto Noll)
7 – A hora da estrela (Clarisse Lispector)
8 – Catedral dos vácuos (Berredo de Menezes) – poesia
9 – Menino de Engenho (José Lins do Rego)
10 – O Processo (Kafka)
11 –Mandrake, a Bíblia e a bengala (Rubem Fonseca)
12 – E do meio de um mundo prostituto só amores guardei ao meu charuto (Rubem Fonseca)
13 – Cem Anos de Solidão (Gabriel Garcia Márquez)
14 – Dom Quixote - livro 1(Cervantes)
15 – Madame Bovary (Flaubert)
16 – Primeiras Estórias (João Guimarães Rosa)
17 – O castelo dos Destino Cruzados (Italo Calvino)
18 – Os versos do Capitão (Pablo Neruda)
19 – A Pomba (Patrick Süskind)
20 – A Nau de Ícaro (Eduardo Lourenço) – Ensaios
21 – Ensaio sobre a cegueira (José Saramago)
22 – Antes do Riso (rodrigo garcía loyer)
23 – Porque os Homens fazem Sexo e as Mulheres fazem Amor?
24 – Antologia (Cecilia Meireles)
25 – Poema Sujo (Ferreira Gullar)
26 – Os arcos e a Lira – Verão 98 (org. Carlos Lima & +)
27 – Metamorfose (Kafka)
28 – Harmada (João Jilberto Noll)
29 – Contos Reunidos (Izaac Babel)
30 – Crônicas(José Lins do Rego & Rachel de Queiroz
31 – Todo Homem é minha caça (Millôr Fernandes)
32 – Livro de poesia do Alberto(da minha turma)


Não necessariamente nessa ordem. Se quiserem conversar sobre algum livro ou qualquer coisa: lisardolopes@hotmail.com

Gostaria de incluir entre os textos importantes para mim esse ano os de lingüistica I & II(prof. Zinda), Cultura Brasileira I & II(prof. Carlos Lima), História Econômica (Vania Cury), pois foram textos e professores especiais da faculdade de LETRAS-UERJ e da minha tentativa em ECONOMIA-UFRJ.


E ainda os Blogs de algumas pessoas, a maioria da minha turma que além de me proporcionar ótimas leituras, foram sítios onde muito aprendi.

http://poetisabrasileira.zip.net/

http://feijoadadeideias.zip.net/

http://www.sanatoriogeral2.blogspot.com/

samedi, décembre 17, 2005

O carteiro e o poeta e o navegante

Esse versos q aí seguem pertencem a um livro chamado Os versos do Capitão, e são todos poemas que ele fêz para uma mulher em especial. Comecei a ler esse carinha por causa do Filme O carteiro e o poeta, fiz até um poema inspirado em uma cena em que eles conversam sobre metáforas.
olha q coisa linda(Pablo Neruda):

El olvido
Todo el amor en una copa
ancha como la tierra, todo
el amor con estrellas y espinas
te di, pero anduviste
con pies pequeños, con tacones sucios
sobre el fuego, apagándolo.

Ay gran amor, pequeña amada!

No me detuve en la lucha
No dejé de marchar hacia la vida,
hacia la paz, hacia el pan para todos,
pero te alcé en mis brazos
y te clavé a mis besos
y te miré como jamás
volverán a mirarte ojos humanos.

Ay gran amor, pequeña amada!

Entonces no mediste mi estatura,
y al hombre que para ti apartó
la sangre, el trigo, el agua
confundiste
con el pequeño insecto que te cayó en la falda.

Ay gran amor, pequeña amada!

No esperes que te mire en la distancia
hacia atrás, permanece
con lo que te dejé, pasea
con mi fotografía traicionada,
yo seguiré marchando,
abriendo anchos caminos contra la sombra, haciendo
suave la tierra, repartiendo
la estrella para los que vienen.

Quédate en el camino.
Ha llegado la noche para ti.
Tal vez de madrugada
nos veremos de nuevo.

Ay gran amor, pequeña amada!

Todo o amor numa taça
imensa como a terra, todo
o amor cheio de estrelas e de espinhos
te entreguei, mas andaste
com pés pequenos, calcanhares sujos,
sobre o fogo, apagando-o

Ai, grande amor, pequena amada!

O esquecimento
Não me detive na luta
Nunca deixei de perseguir a vida,
busquei paz, sonhei pão para todos,
mas te alcei em meus braços,
te cravei nos meus beijos
e te olhei como jamais
tornarão a te olhar olhos humanos.

Ai, grande amor, pequena amada!

Tu não mediste então minha estatura,
e ao homem que para ti afastou
o sangue, o trigo, a água
confundiste
como o pequenino inseto que te caiu na saia

Ai, grande amor, pequena amada!

Não esperes que te olhe na distância
para trás, permanece
com o que te deixei, passeia
com minha fotografia atraiçoada,
eu seguirei andando,
abrindo largos caminhos contra a sombra, fazendo
suave a terra, repartindo
a estrela para os que vêm

Fica no teu caminho.
Já chegou a noite para ti.
Talvez de madrugada
nos vejamos de novo.

Ai, grande amor, pequena amada!



samedi, décembre 10, 2005

férias e descanso, cronica pro verão

As férias estão chegando até que enfim, ih! oh! eu mereço, mesmo! Definitivamente, preciso de férias: a vida anda muito conturbada; preciso pensar, colocar as coisas no lugar, separar muito bem o quê do que(essa expressão eu inventei agora? Será que cola?)...
Preciso ir à praia ver o mar, fugindo do sol é claro, ir ao cinema, ler coisas que eu realmente gosto, pensar no que me dá prazer e o que serve pra minha vida, e não aquelas leituras chatas da faculdade, que só dizem respeito a academia e não têm nada a ver com a minha vida; rever alguns conceitos, meu comportamento, pensar no que realmente quero pra minha vida. Vou refletir e descansar. Vou procurar bandas legais pra ouvir, ir pra showzinho, quem sabe até montar a minha e acima de tudo não estressar, procuro lazer: vou encontrar alguns amigos antigos trocar novas e velhas idéias. Preciso muito conversar. Preciso de pontos de vista. Preciso de uma vista...

Vou pedir férias também para o meu coração, eu preciso de um pouco de paz, os últimos anos foram só emoções complicadas, amadureci bastante, aprendi uma coisa que vou levar pra toda minha vida agora, aprendi que sempre pode dar tudo errado, até quando é uma coisa simples, ou quando não era pra ter sido. Um pouco confuso: não sei quem é quem nessa multidão, preciso reconhecer muito bem os personagens dessa história, que é a vida senão.

Não quero solidão, isso não é bom, gosto de estar entre amigos, pessoas legais e interessantes, esquisitas por que não?! Mas vou querer ficar sozinho em casa mesmo, sem fazer nada, preciso e quero, tenho de me encontrar comigo mesmo. Enfim preciso saber quem eu sou, o que quero...
Pelo menos por enquanto.

E de uma máquina capaz de capturar o momento em todas as suas dimensões... para nunca mais esquecer certos momentos!...